Tablets

Published on abril 16th, 2014 | by Lucas Lima

1

Vale a pena comprar um Kindle?

Sempre tive o objetivo de tentar escrever melhor. E, como todo mundo sabe, uma das maneiras para melhorar a escrita é através da leitura. Como sempre fui mais prático do que forte resolvi tentar ler no iPad para evitar carregar algo pesado na mochila (como eu moro em uma outra casa durante a semana por causa do trabalho, tenho que carregar o livro na mochila). Infelizmente o iPad me proporcionava muitas distrações devido aos aplicativos e era fácil notar a vontade de interromper a leitura devido a fadiga da visão causada pela luz da tela. Foi ai que resolvi tirar o escorpião do bolso e comprar um dispositivo exclusivamente para a leitura.  Pesquisando entre os modelos disponíveis, acabei encontrando um amigo vendendo um  um Kindle de quarta geração – ou Kindle 4, para os íntimos. Lançado no final de 2011 manteve o legado da Amazon como principal empresa de eReaders. Sem mais delongas, vou resenha-lo para vocês.

Design

Para quem tinha na cabeça os primeiros modelos de kindle, que parecia mais uma versão estendida de um celular antigo, com teclado, vai se surpreender. Assim como de costume nos devices da Apple, a Amazon buscou o minimalismo nessa versão do Kindle. Ela escondeu o famoso teclado e resumiu em cinco botões e um pad direcional, além dos quatro botões laterais para a troca de página. Esse botões laterais são, ao meu ver, o maior “charme” do eReader. Eles se tornam tão naturais ao uso que é comum depois procura-los em outros devices. Se você segurar os botões com a mão direita, é só pressionar os do mesmo lado com o polegar. Caso você seja canhoto vale a mesma regra para o lado esquerdo.

Display

O e-Ink é uma tecnologia inovadora (mesmo com apenas 16 tons de cinza). Como a imagem é formada através de partículas de tinta em uma superfície com corrente elétrica,  dispensa a utilização de luz e como já disse antes, deixa a leitura muito mais prazerosa. Obviamente você não conseguirá ler no Kindle sem iluminação, já que a idéia é proporcionar a mesma sensação de uma leitura em papel.

Como uma página estática não gasta energia, já que a imagem já está “formada” existe um baixo consumo de energia. Por isso, com o wireless desligado, a bateria do Kindle chega a durar 30 dias – isso mesmo, 1 mês – com um habito normal de leitura . A energia é consumida somente ao alternar entre telas e menus, ou “folhear” páginas.

Existe um notável delay na troca de páginas nesse modelo de Kindle, algo que é menos percepitível nos modelos mais novos. Mas caramba, você está lendo um livro. Esse delay dura menos que o tempo que vc gasta para virar uma página de verdade e focar seus olhos no ponto inicial do texto.

Utilidade

Como já se sabe o Kindle é um dispositivo voltado exclusivamente para a leitura. Se você pretende compra-lo para utilizar o twitter, bater papo no msn ou até mesmo acessar sites, você comprou o device errado. Agora se o seu objetivo é ler, esse é o dispositivo correto. Com livros facilmente transferidos, desde o modo mais intuitivo (como se fosse um pendrive) ou através da Amazon o Kindle se torna um leitor ideal. Seus 2 gigabytes de memória permitem a sincronização de mais de mil livros no formato proprietário ou centenas de arquivos PDF que é muito mais do que você precisa, afinal diferente de músicas a leitura não é algo feito em 2 minutos nem é feita em background.

Outro ponto positivo do Kindle (e o meu preferido) é sua compatibilidade com o Instapaper. Como trabalho com o computador evito ler textos maiores durante o dia, guardando-os para quando estiver desocupado. Com essa compatibilidade Kindle + Instapaper, marco artigos para serem transferidos para o eReader durante a madrugada. Assim leio-os durante o translado para o trabalho ou em momentos mais relaxantes.

Outro ponto positivo do Kindle é o dicionário pré-instalado. Durante a leitura é só deslizar o cursor com o pad direcional a palavra desejada e a definição logo aparece no rodapé. É uma mão na roda. (Só vai ficar mais perfeito quando eu aprender a instalar um dicionário PT-EN, já que meu vocabulário curto não me permite ler livros em inglês sem auxílio).

Ainda é possível adicionar anotações em suas leituras. Transformando o Kindle de um mero leitor casual até em uma ferramente essencial ao estudo. O que deixa a desejar é o teclado ABCD (não confundam com o QWERTY) que tem que ser acessado através do pad direcional. Se para digitar um e-mail já é um sacrifício, imagina uma nota inteira.

Se você é daqueles que gosta de usar o device até no talo, há  escondido no Kindle um navegador bem básico baseado no WebKit, o mesmo motor do Google Chrome e Safari. Nesse mundo de imagens que se tornou a internet não é algo confortável de se utilizar, mas quebra um galho caso precise de uma pesquisa de urgência.

Um outro ponto bastante questionado é a visualização de PDF’s. Como a maioria dos arquivos são formatados para folhas em tamanho A4, muitas vezes os PDF’s fica ilegíveis. Uma solução prática é rotacionar a tela para o modo landscape (paisagem – deitado), mas nem sempre é a solução. Com a página deitada ela é dividida em duas e consequentemente as fontes ficam maiores.

Há ainda muito do que se discutir sobre a quantidade de conteúdo voltada a esse tipo de dispositivo, mas assumo que não tive nenhuma decepção nas minhas buscas em lojas virtuais. Caso você tenha tido alguma, ainda há a possibilidade de comprar softwares de conversão e transformar seus arquivos em arquivos .mobi e ler tranquilamente no seu Kindle.

Conclusão

O Kindle é, sem dúvida, um dispositivo que atende o seu objetivo. Prático, leve, funcional ele torna mais prazerosa a leitura digital. Seu armazenamento é mais do que suficiente e ainda há a possibilidade de transferir artigos da web para serem lidos no conforto da e-ink. Seu preço original (79 ou 99 dólares) é bem convidativo para um dispositivo tão completo.  Não há como não recomendar um gadget desse tipo, que se tornou excepcional e muito útil para todos os amantes da leitura. Tornou-se item obrigatório em minhas viagens.

Mesmo no Brasil, se seu objetivo é deixar de carregar peso e ler mais, vale a pena ir no Ponto Frio e adquirir o seu.

 

Tags: ,


About the Author



One Response to Vale a pena comprar um Kindle?

  1. Pingback: Dicas de Compra » Ainda dá tempo de comprar presentes pro dia das mães?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back to Top ↑